Daniel Vinciguerra

ORLite - Uma abordagem simples para utilizar SQLite
Publicado em 01/09/2010

ORLite - Uma abordagem simples para utilizar SQLite

Este artigo tratará sobre o uso do módulo ORLite, assim como sua vasta gama de facilidades para construir, manter e manipular bases de dados em SQLite.

O que é SQLite?

SQLite é um banco de dados leve de um só arquivo e muito poderoso escrito em C. Ele funciona sem nenhuma configuração e é capaz de gerenciar grandes massas de dados com grande performance, uma vez que seu uso é local.

Introdução ao ORLite

ORLite é um módulo que implementa um Object Relational Mapper especifico para o uso com SQLite, isso é, ele foi concebido sub medida para ser utilizado com SQLite.

Este módulo é super leve e tem excelente performance alem de abstrair a construçãoo das querys SQL já voltadas ao SQLite, dando ao desenvolvedor mais tempo para pensar no que realmente interessa e não na implementação das suas consultas ao banco.

Como utilizar o Módulo

O ORLite como dito é muito simples de ser utilizado, logo, se você ja tem alguma prática com o Class::DBI ou o DBIx::Class não terá¡ dificuldade alguma para trabalhar com ele. Caso você não conheça nenhum dos módulos citados anteriormente, uma explicação simples e rápida do que acontece por "debaixo dos panos" é que o ORLite provê uma abstração sobre as querys SQL e encapsula as funções como INSERT, UPDATE, SELECT, DELETE e outra em métodos bem simples de serem usados para prover o mínimo de complexidade ao desenvolvedor. Alem disso outra coisa digna de nota é que o ORLite mapeia as tabelas do sua base de dados e as disponibiliza como objetos (segundo a documentação), o que ajuda ainda mais a simplicidade da ferramenta.

Vamos então ao nosso primeiro exemplo de uso do ORLite:

Exemplo 01:

	package App;

	# Carrega o modulo ORLite
	use ORLite {
		package => 'Model',
		file  => 'database/example.db',
	};

... ou utilizando mais opções

	use ORLite {
		package => 'Model',
		file  => 'database/example.db',
		create  => sub {
			my $dbh = shift;
			$dbh->do(qq{
				CREATE TABLE "user" (
					"id" INTEGER PRIMARY KEY AUTOINCREMENT NOT NULL,
					"name" VARCHAR(150),
					"age" INTEGER,
					"email" VARCHAR(255)
				);
			});
		},
		prune  => 1,
	};

A aplicação acima carrega e configura o modulo definindo uma classe base para que as demais classes criadas a herdem. As tabelas da sua base de dados poderão ser acessadas como objetos nomeados como Camel.

	Database table => user
	ORLite object  => Model::User

	Database table => profile_info
	ORLite object  => Model::ProfileInfo

Uouuuu! Isso facilita muito as coisas não acha?

Agora vejamos algumas operações simples de CRUD (Create Retrieve Update Delete), como ficariam simples utilizando a estrutura proporcionada pelo ORLite. Utilizando a mesma especificação do ORLite e supondo que temos uma tabela user como proposto no exemplo 2, vejamos como ficariam algumas operações.

Exemplo 02:

	# Acabamos de criar um objeto que representa nossa tabela
	my $user = Model::User->new(
		name => "˜Joe Doe",
		age => 34,
		email => "joe@doe.com",
	);

	# Agora vejamos como ficaria nosso insert ;)
	$user->insert;

	# ou simplificando as coisas...
	my $user = Model::User->new(
		name => "Joe Doe",
		age => 34,
		email => "˜joe@doe.com",
	)->insert;




O ORLite cria objetos que representam as tabelas contidas na nossa base de dados e estes objetos por sua vez recebem atributos, os quais representam cada coluna de nossas tabelas.

Agora vejamos como poderíamos obter um ou mais registros da nossa base de dados através dos métodos mágicos do ORLite.

Exemplo 03:

	# Caso sua tabela tenha uma chave primária...
	# você poderá recuperar seu registro através dele
	my $user = Model::User->load(1);

	# ... ou você pode fazer uma consulta por todos os registros
	# e obter todos os registros da sua tabela.
	my @users = Model::User->select;




	# e se eu tenho uma lista de objetos, então
	foreach my $user (@users){
		 print "ID ". $user->id ." => ". $user->name ."\n";
	}

Agora vamos a um pequeno exemplo de exclusão de registros da nossa base de dados. Assim como o Insert a exclusão é muito simples bastando apenas a chamada de um simples método.

Exemplo 04:

	# Aqui vamos obter um objeto que representa um registro na nossa tabela...
	my $user = Model::User->load(1);

	# opsss! acabo de excluir este carinha ; )
	$user->delete;

Viu como é simples? Agora para concluir o artigo, vamos assumir que você precise fazer algumas consultas parametrizadas, que normalmente faria utilizando a clausula WHERE do SQL. Vamos ver como poderíamos fazer!

Exemplo 05:

	# Neste caso procuramos por registros especificos
	my @users = Model::User->select( ' where name = ? ', 'Daniel Vinciguerra');

	# note que o mesmo poderia ser feito com o delete hehehe...
	Model::User->delete( 'where name = ? ', 'Daniel Vinciguerra');




Conclusão

Como vimos, utilizando o ORLite toda a complexidade com uso de querys SQL foi abstraída deixando somente métodos para uma interação simplificada com os desenvolvedores. O ORLite pode ser um grande aliado quando ha a necessidade de utilizar uma base de dados SQLite em seu sistema e pode economizar e muito o tempo de desenvolvimento dele.

Bom concluimos aqui este artigo, que por ser de cunho introdutório, passa uma ideia simples do uso deste ótimo modulo para auxiliar-nos na manipulação de dados do SQLite. Mais informações podem ser encontradas nos links abaixo.

Site Oficial SQLite: http://www.sqlite.org/

Documentação ORLite: http://search.cpan.org/~adamk/ORLite-1.45/lib/ORLite.pm

Autor

Daniel Vinciguerra <dan.vinciguerra at gmail.com>

blog comments powered by Disqus