Eden Cardim

Testando APIs com Plack
Publicado em 01/03/2013

Testando APIs com Plack

Uma das grandes dificuldades de testar uma API remota é reproduzir as requisições HTTP de maneira confiável e estável. Um dos problemas é que as respostas dos serviços mudam, impedindo que os testes contenham valores pré-definidos para a conferência dos resultados da requisição.

Suponha, por exemplo, um cliente mínimo de API da wikipedia:

  package Wikipedia::API;
  use Moose;
  use JSON;
  use LWP::UserAgent;
  has ua => (
    is      => 'rw',
    handles => [qw(get)],
    default => sub { LWP::UserAgent->new; }
  );
  has json => (
    is      => 'rw',
    handles => [qw(decode)],
    default => sub { JSON->new->utf8 }
  );

  around get => sub {
    my $orig = shift;
    my $self = shift;
    my $res = $self->$orig(@_);
    return $self->decode( $res->content );
  };

  sub query {
    my ( $self, $page, $prop ) = @_;
    my $url =
        q{http://br.wikipedia.org/w/api.php?format=json&action=query}
      . qq{&titles=$page}
      . qq{&prop=$prop};
    return $self->get($url);
  }
Para testar esse código, precisamos averiguar se o conteúdo da requisição realmente contém os valores esperados:

  use Test::More;
  use Data::Dump;
  my $expected = {
    query => {
      pages => {
        39 => {
          ns        => 0,
          pageid    => 39,
          revisions => [
            { anon      => "",
              comment   => "",
              parentid  => 69,
              revid     => 4916,
              timestamp => "2004-06-27T17:34:56Z",
              user      => "81.220.117.157",
            },
          ],
          title => "Main Page",
        },
      },
    },
  };
  my $wapi = Wikipedia::API->new;
  is_deeply( $wapi->query( 'Main Page', 'revisions' ), $expected );
  done_testing();
Porém o sucesso do teste depende de uma série de fatores externos que não necessariamente envolvem a corretude do código como ter acesso ao servidor remoto que está sendo testado e depender que serviço retorne sempre os mesmos valores, nesse exato momento em que você lê isso, provavelmente o valor retornado pelo código será diferente. Além disso, numa suite de testes grande, executar requisições remotas pode ser demorado e tedioso.

Plack::Test::Agent ao resgate

Para contornar esses problemas, existe o Plack::Test::Agent, que possui a mesma interface do LWP::UserAgent porém ele simula requisições contra uma aplicação escrita usando Plack.

O problema é resolvido com o middleware de Cache e um Proxy para o serviço original.

my $ua = Plack::Test::Agent->new(
  app => builder {
    enable 'Cache',
      match_url => '/.*',
      cache_dir => q{/tmp/api-cache};
    mount '/' => Plack::App::Proxy->new(
      remote  => 'http://api.discogs.com',
      backend => 'LWP'
    )->to_app;
  }
);

my $wapi = Wikipedia::API->new(ua => $ua);
Observe como "enganamos" a biblioteca para que ela passe pelo nosso proxy recém-montado, que irá responder exatamente da mesma forma que o serviço original, exceto que o middleware de cache irá armazenar cada resposta do servidor localmente, para que num segundo acesso, não seja necessário entrar em contato com o servidor de fato.

Nesse caso, as requisições ficam cacheadas num diretório temporário, mas os arquivos gerados pelo cache podem ser armazenados no repositório, junto com o código. Se houver necessidade de atualizar os dados do serviço, basta remover os arquivos de cache e corrigir os valores esperados pelo código.

Autor

Eden Cardim http://edencardim.me

Licensa

Beerware
blog comments powered by Disqus